3° Pagina [29/05/1014]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

3° Pagina [29/05/1014]

Mensagem por Alan_Vitor em Ter Set 01, 2015 5:27 pm




O dia hoje em Palestina foi mais agitado que de costume. A caminho da forja me encontrei com o Artís, um velho e fofoqueiro amigo, que logo me veio contar as novidades da cidade. Mesmo eu sempre o lembrando de que não gosto e nem me importo com fofocas, ele sempre me lembra que é bom sempre andar informado. Me contou sobre a chegada de um grande guerreiro a cidade. Um que de acordo com ele, andava entre os nobres do reino de são Salvador! Lhe perguntei o que um guerreiro assim, faria neste fim de mundo, ele deu os ombros e saio em busca de novas fofocas. Admito ter ficado intrigado com isto. Segui meu caminho como de costume, porem agora atrasado, chegando à forja fui logo falando:
- Desculpe pelo atraso Senhor Harryson!
- Tudo bem, mas que pena você ter se atrasado logo hoje.
- Por quê?
- Um guerreiro veio mais cedo aqui, assim que a forja abriu e me encomendou umas espadas. Ele parecia ser de longe, e um experiente guerreiro...
- Antes de chegar aqui, me encontrei por acaso com o Artís, e ele me falou de um guerreiro que “anda entre os nobres”, que chegou a cidade á pouco tempo, será que é deste que se trata?
- Deve ser, dois grandes guerreiros não se perderiam e viriam parar aqui no mesmo dia. - E riu.
- Só assim mesmo pra algum forasteiro vir parar aqui. Porem pouco me importa, quem ele seja ou o que faça aqui, no fim das contas.
O senhor Harryson me olho com um olhar cerrado, tentando segurar um sorriso, como um garoto que se contem para não rir de uma travessura que acabara de fazer, e em tom divertido comentou – Nem mesmo se eu te contar, que este forasteiro me pediu exatamente duas espadas de encomenda. Não como destas bastardas que fazemos de costume, e sim duas gládios, duas gládios gêmeas, assim como as suas...
Me voltei a ele com uma expressão seria, e ele com uma serena expressão me observava e aguardava uma resposta – Bom... Podem ser mesmo dois guerreiros, e um veio comprar uma espada para si e para o outro, e...
- Se fosse assim por que ele encomendaria uma espada curta apenas? Sem um escudo... E enfatizaria a parte das espadas serem gêmeas? Acho que ele deve ser um especialista em lâminas curtas. Você deveria achá-lo e aprender algo com ele... Bom... Pelo menos é o que a intuição desse velho diz.
- Não acho que ele seja, um especialista em lâminas curtas, alem de raros no reino de são Salvador, ele é um “guerreiro que anda entre os nobres do reino”, e nunca conheci um nobre, que lute bem utilizando duas espadas curtas.
- E quantos nobres você conhece?
- Nenhum... Mas nunca ouvi falar de um que...
- E quantos nobres alem da nossa duquesa Maíra você já ouviu falar?
- Muitos!
- Muitos? Então cite dois.
- Por exemplo... Tem o... O marquês da terra e fogo! Ouvi falar que ele é um excelente lanceiro, temido por muitos em batalha! Não acho que um guerreiro como ele, se tornaria bom assim se luta-se com duas espadas curtas. E também tem o...  
- O?
- Bom não importa, mesmo que ele seja um especialista, ele é um “guerreiro que anda entre os nobres do reino”, essa gente é arrogante e ele não perderia o seu precioso tempo, treinando um plebeu qualquer desse fim de mundo!
- Você pode estar certo Allan, mas o que você tem a perder se tentar?
Não consegui responder a esta pergunta.
- E o Artís está certo! – Completou Harryson.
- Em que?
- Em que você deveria mesmo andar mais informado! Não sabe nem ao menos o nome de dois nobres que lutam? – Após isto deu uma longa gargalhada.
Eu me virei e fui começar a forjar, o sol já estava alto no céu.
A tarde enquanto treinava, pensava no que senhor Harrison tinha me falado. Eu realmente não tinha nada a perder, mas... Onde eu o encontraria? Enquanto golpeava o ar ouvi um galho estalar. Me virei de costas, olhando um canto do bosque, onde as sombras lutavam contra os últimos raios de sol. Entre uma sombra e outra procurei ver algo, mas nada vi. Um coelho ou um cervo deviam ter passado por ali. Me virei de volta para aquela velha arvore, que estava a uns três passos de mim, sorri e admiti em tom hilário:
- É, Se você arvore fosse um oponente armado, pela minha distração com um galho quebrando, eu teria morrido agora. – E me voltado para o chão com a voz mais baixa em tom mais triste. – Eu realmente tenho muito a aprender e melhorar.
Após um longo suspiro, coloquei as gládios nos panos em que eu as guardava e voltei para casa. Com a certeza, de que apenas o treinamento que eu estava fazendo, não estava sendo suficiente. Logo eu teria que correr atrás, para ter um treinamento melhor. Antes que o alistamento para o exercito do reino de são salvador começa-se, e a cada dia, este evento se aproximava mais e mais...



Segunda-feira, 29 de maio de 1014.
avatar
Alan_Vitor
Soldado

Batalha Cênica Salvador Mensagens : 51

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum